sexta-feira, 9 de maio de 2008

Ossos do ofício duros de roer

Policia baleado na face
Um agente da PSP do Barreiro, de 32 anos, sofreu um disparo praticamente à queima-roupa, numa operação de combate ao tráfico de droga, anteontem à noite, em Miratejo, no Seixal.

Agente da Esquadra de Investigação Criminal (EIC) da PSP do Barreiro, foi atingido com um tiro junto à boca, quando entrava numa residência em Miratejo, que estaria relacionada com o tráfico de droga. Foi imediatamente transportado para o Hospital Garcia de Horta, em Almada, e depois transferido para S. José, em Lisboa, onde foi sujeito a uma intervenção cirúrgica para estancar a hemorragia.

O agente foi atingido por um projéctil de calibre 38 milímetros (mm), correspondente ao "calibre de guerra" de 9 mm, que entrou pelo lado direito do rosto, junto à boca. A bala foi alojar-se num músculo do pescoço, não atingindo nenhum órgão vital, uma vez que terá sido desviada na trajectória pela placa, que saltou para o chão quando o projéctil a atingiu de raspão.

O agente participava numa operação da EIC do Barreiro para deter um suspeito de tráfico de droga, procurado pelas autoridades, desde 2006, por não ter regressado à cadeia após uma saída precária. Era suspeito de estar ligado a uma rede que abastecia a Amadora, o Barreiro e a Moita, e foi detido com 200 gramas de cocaína, após o que os agentes se dirigiram com o detido para buscas em residências na Reboleira (Amadora), Miratejo e Cruz de Pau (Seixal), cerca das 23 horas de anteontem.

Na entrada, os agentes entraram a gritar "polícia, polícia", como é de regra, mas numa das divisões um suspeito disparou de imediato a um metro de distância, atingindo o Agente. Uma moradora do prédio, que pediu o anonimato, recorda "Vi ainda o polícia, um rapaz novo, caído aqui no chão, quando estava à espera da ambulância. Estava cheio de sangue, coitado".

No local, dois outros agentes abriram fogo contra o suspeito, que lançou a arma ao chão, mas ainda resistiu quando os polícias o tentaram dominar. Noutra divisão foi feito mais um detido, apreendida uma pistola de 9 mm e descobertos cerca de 63 mil euros em dinheiro.

A preocupação do agente ferido, que esteve sempre consciente, foi a de saber como tinha corrido a operação e de que a arma não ficasse perdida. A EIC do Barreiro foi apoiada pela Divisão da PSP do Seixal, cujo comandante esteve sempre presente na operação e foi ao hospital saber do estado do agente e apoiar a mulher, uma procuradora do Ministério Público Barreiro.

Nenhum comentário: