sexta-feira, 30 de maio de 2008

Português detido num hospital em Galiza alvejado por PSP em Penafiel

O português detido num hospital em Pontevedra, na Galiza, onde foi extrair uma bala que tinha na cara, terá sido alvejado por um agente da PSP quando tentava assaltar um café em Penafiel, informou hoje fonte policial.
No dia 14, três encapuzados tentaram assaltar um café em Guilhufe, Penafiel, mas foram surpreendidos pela chegada de um agente da PSP, que se encontrava de folga.
Um dos assaltantes disparou dois tiros de caçadeira e o agente ripostou, atingindo-o na cara, mas o trio conseguiu pôr-se em fuga.
Na madrugada do dia 16, um homem de 33 anos, acompanhado de mais dois homens e uma mulher, deu entrada no hospital privado Miguel Domínguez, em Pontevedra, queixando-se de ter sido agredido na cara com uma barra e roubado durante um suposto assalto, razão por que não tinha documentos.
Como o ferido não tinha seguro, aquele hospital privado prontificou-se para o transferir para Portugal, para ser assistido num hospital público, mas o homem não aceitou.
Quatro dias depois, as pessoas que o acompanhavam pagaram os 13 mil euros necessários para que fosse assistido naquele hospital de Pontevedra.
O pessoal médico constatou que as feridas não correspondiam a uma agressão com barra de ferro mas sim a uma bala e comunicaram o caso à Polícia Nacional espanhola.
Um contacto com as autoridades portugueses confirmou à Polícia Espanhola que a identidade do homem era falsa e que se tratava de um suspeito procurado por vários actos violentos, com antecedentes criminais e que estava a ser procurado por um assalto recente, alegadamente ao referido café de Penafiel.
Depois do tratamento hospitalar, o homem foi presente ao juiz, que decretou a sua prisão preventiva.
VCP/ASP.
Lusa/Fim

Nenhum comentário: