quinta-feira, 17 de julho de 2008

«Polícia automática» até ao final do ano

Durante a assinatura de um protocolo entre a Associação Portuguesa de Seguradores, a Associação Portuguesa de Leasing e Factoring e o Ministério da Administração Interna, Rui Pereira esclareceu as novas medidas de combate ao carjacking.
«Até ao último trimestre deste ano, Lisboa e Porto terão aquilo a que chamamos polícia automática», garantiu. O ministro falava do projecto-piloto de leitura automática de matrículas.
Recorde como se pode defender.
As viaturas da PSP e da GNR vão ficar equipadas com um sistema automático de leitura de matrículas que permite detectar «rapidamente» os carros alvo de carjacking, anunciou o ministro da Administração Interna.
Segundo Rui Pereira, o sistema vai arrancar entre «01 de Outubro e 31 de Dezembro» nas áreas de Lisboa e Porto, sendo depois o projecto avaliado para ser estendido às viaturas da PSP e da GNR de todo o país.
Através desta pareceria, as forças de segurança vão estar presentes em stands e salões de automóveis para divulgarem quais os instrumentos defensivos para se enfrentar o roubo violento de viaturas, afirmou o governante.
O ministro adiantou que a execução dos protocolos será «garantida por uma comissão de acompanhamento», composta por elementos da PSP e da GNR.
No mesmo âmbito, o MAI também assina esta quinta-feira um protocolo com a Associação de Comércio Automóvel de Portugal para desenvolver acções de divulgação, informação e sensibilização que estimulem a aquisição e a divulgação da oferta de soluções tecnológicas baseadas na georeferênciação e geolocalização (GPS) como serviço de protecção adicional.
Carjacking aumentou 70%, mas vai baixar
«O objectivo é estabelecer uma parceria entre o ramo automóvel e as forças policiais para esclarecer os cidadãos, para evitar mais situações de roubo de carros», explicou.
«Vamos divulgar os mecanismos [de geolocalização] para que a massificação das vendas baixe os custos e se tornem relativamente habituais nos carros, principalmente nos automóveis topo de gama, que são os mais atingidos como toda a gente sabe», acrescentou.
O ministério integrou também, na sua página da Internet, vários «conselhos úteis» e vai promover a distribuição de panfletos em zonas de maior incidência deste tipo de crimes.
Fonte: Iol Diário

Nenhum comentário: