terça-feira, 19 de agosto de 2008

Skin ataca em vídeo

O líder da Frente Nacional, Mário Machado, assegura que o processo judicial no qual responde, em conjunto com outros 35 arguidos, "é uma perseguição política, organizada pela Maçonaria e Ministério Público, em conluio com a Polícia Judiciária". A mensagem consta de um vídeo que o líder nacionalista gravou, e colocou na internet. Desde anteontem que a gravação, inicialmente posta à disposição através do site de partilha de vídeos ‘Youtube’, está também visível no blog ‘Terra Portuguesa’. A cerca de um mês da leitura do acórdão do processo, no qual responde por crimes de discriminação racial, ofensas à integridade física, e posse de arma ilegal, Mário Machado quis dirigir-se a todos os nacionalistas "olhos nos olhos, não obstante a pena que venha a levar". "Andam a perseguir os nacionalistas. Eu não posso sair da minha freguesia, mas ninguém prende as minhas ideias e convicções", considerou o líder nacionalista. Mário Machado apelou aos companheiros de partido que não desistam, instando-os "a lutar até ao último homem, em defesa dos ideais nacionalistas". José Castro, advogado do líder skin, disse ao CM "não ter conhecimento da gravação deste vídeo". "O facto de o meu cliente ser arguido, não lhe cerceia os direitos e liberdades", concluiu.

VIOLOU MEDIDA DE COACÇÃO

A PSP denunciou ao Ministério Público que MárioMachado, líder nacionalista em julgamento no Tribunal da Boa-Hora, violou a medida de coacção a que está sujeito. Depois de libertado por excesso de prisão preventiva, o arguido foi impedido de se ausentar da Póvoa de Santo Adrião, freguesia do concelho de Odivelas, onde reside. No entanto, em meados de Julho, o arguido saiu fora dos limites da freguesia. A PSP constatou a violação, comunicou-a ao Ministério Público, que requereu a imediata alteração de medidas de coacção. No entanto, em sessão realizada ontem, o juíz João Felgar indeferiu o requerimento, deliberando a manutenção das medidas de coacção. No entanto, acrescentou o magistrado, "esta violação será considerada numa eventual pena". A próxima audiência é a 12 de Setembro.
Fonte: CM

Nenhum comentário: