sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Lisboa recebe quase totalidade dos 901 novos agentes da PSP

Mais de 400 dos novos agentes vão ser colocados na Amadora, Sintra, Benfica e Loures.

A quase totalidade dos 901 novos agentes da PSP que concluíram hoje o curso na Escola Prática de Polícia de Torres Novas vai ser colocada no Comando Metropolitano de Lisboa, permitindo a recolocação de outros elementos por vários pontos do país.

O director nacional da PSP, Francisco Oliveira Pereira, assegurou que a colocação dos agentes "obedeceu a um estudo científico" que teve em conta variáveis como a população, índices criminais, tipos de crime, rácios polícia/cidadão e polícia/crime, "entre outros".

"Procurou-se concretizar uma distribuição rigorosa, mais adequada e criteriosa, tendo por base uma optimização de recursos humanos", disse Oliveira Pereira no discurso de saudação aos novos agentes.

Mais de 400 dos novos agentes vão ser colocados na Amadora, Sintra, Benfica e Loures, outros vão garantir a segurança de instalações e uma parte destes elementos vai ser distribuída pela primeira e quinta divisões de Lisboa, Olivais, Alcântara, Cascais e Oeiras e na segurança em transportes públicos.

Os comandos de Setúbal e dos Açores também vão ser contemplados com novos polícias.

Para o ministro da Administração Interna, "um acréscimo de agentes é sempre um acréscimo de segurança", sublinhando Rui Pereira que aos 901 agentes da PSP que entram na próxima semana em funções se irão juntar os militares da GNR que "concluirão a formação lá para o fim do ano".

Rui Pereira afirmou que o Governo apostou no lançamento, todos os anos, de novos concursos para a formação de mais agentes da PSP e mais militares da GNR "para que o dispositivo seja reforçado e para que haja um aumento sustentado e gradual do número de efectivos".

Os agentes formados na Escola Prática de Polícia (EPP) de Torres Novas tiveram, desde o início de Janeiro, um total de mais de mil horas de formação, em áreas não só de preparação técnica e profissional (como armamento e tiro, legislação policial, técnicas de intervenção policial), mas também jurídica, comportamental (cidadania, ética, deontologia profissional), actividade física e resolução de casos práticos em duas "esquadras modelo" e numa sala de investigação criminal.

Fizeram ainda um estágio de 15 dias em comandos territoriais da PSP, participando também em serviços como assistência a audiências de julgamento, uma componente prática que o director da EPP, José Ferreira de Oliveira, disse querer alargar e avaliar no futuro.

Para uma das novas agentes, o curso "não foi fácil", mas "correspondeu bastante às expectativas", sublinhando que sai "com boas bases", mas a preparação "continua lá fora".

Natural e até aqui residente no Porto, o destino desta nova agente é agora a terceira divisão de Lisboa, onde espera ficar "uns aninhos" até conseguir aproximar-se de casa.

O emprego garantido pesou na decisão de Carlos Barbosa, o segundo melhor aluno do curso, que se considera "bem preparado" para a missão que vai passar a cumprir na esquadra de Alcântara, em Lisboa, onde fez o estágio.

A cerimónia de prestação de juramento dos 901 novos agentes da PSP acabou "molhada", com o desfile em parada a decorrer sob forte chuvada.

Fonte: Jornal de Notícias

Nenhum comentário: