sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

As medidas de austeridade


As medidas de austeridade "seguem orientações superiores" segundo o director nacional da PSP. A escolha dos dias de lavagem das viaturas fica agora a cargo de São Pedro. Céu molhado carro lavado.



Há situações já de si tão ridículas que se tornam dificilmente caricaturáveis. Como se sabe vivemos tempos difíceis pelo que há que cortar em quase tudo, desde que o tudo não afecte a boa vida das chefias e de interesses corporativos instalados, obviamente.
"Os televisores vão passar a estar desligados nas esquadras da PSP. Os agentes apenas podem ligar a TV para ver notícias. Vai acabar o correio postal, os telefones serão usados só em casos excepcionais e até os carros da patrulha serão lavados com a água da chuva. Estas são algumas das mais de 50 medidas que a Direcção Nacional da PSP distribuiu pelos comandos regionais e metropolitanos no sentido de se cortar nas despesas e aumentar as receitas" DN
Penso que as medidas pecam por escassas. Os polícias deveriam ser obrigados a fazer uma dança da chuva por semana. Todos nus só com o boné a tapar as partes íntimas. E assim pedir a São Pedro que fizesse a sua magia e abrisse as barragens do céu. No caso de estar ocupado com um tornado nas Caraíbas há sempre a opção Zeus, o Deus grego que preside aos fenómenos atmosféricos, recolhe e dispersa as nuvens, comanda tempestades, cria relâmpagos, trovões e lança a chuva que deixará os carros patrulha a brilhar.
Nada de detergentes. Sabão macaco para a chapa e uma escova de dentes usada para esfregar as jantes. Pensando bem porquê usar automóveis? Porque não voltarmos ao cavalo? Há cavalos mais rápidos que algumas viaturas da PSP. E poupa-se na gasolina. Já me chegou aos ouvidos que há esquadras que não têm dinheiro para abastecer os respectivos automóveis, daí as diminutas rondas que se fazem em alguns locais.
Quanto ao correio postal e telefones acho que a melhor solução passaria pelo uso de pombos correio e sinais de fumo. As esquadras da mesma zona deveriam passar a comunicar através de sinais de fumo, tarefa que ficaria a cargo de agentes com treino indígena. Para a comunicação entre esquadras mais distantes entraria em acção a unidade especial de polícia columbófila. Pombos correio treinados pelo espanhol da águia Vitória, com capacidade para voarem identificados ou à paisana e peritos na despistagem e perseguição de todo o tipo de aves.
Em relação à privação de televisão vão ser criados grupos de teatro por esquadra formados pelos agentes com mais queda para a representação escolhidos em castings organizados para o efeito. Desta forma vão poder entreter os restantes colegas nos tempos mortos. Está ainda prevista a instalação de candelabros e tochas nos edifícios de forma a ajudar à poupança de energia eléctrica. Em relação às chefias e à utilização abusiva e continuada de viaturas descaracterizadas da PSP para passeios em família ao fim-de-semana não se irá registar qualquer alteração.

Fonte: Tiago Mesquita (www.expresso.pt)

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

São mulheres, são polícias e estão em lingerie

São mulheres, são polícias e estão em lingerie


Em Espanha, oito mulheres-polícias fizeram um calendário sensual, em poses criminosas que ofereceram a amigos e colegas de esquadra. Agora podem ser alvo de punições.


As oito mulheres polícias de Ponent, na Catalunha, resolveram fazer uma brincadeira: uma sessão fotográfica em lingerie, onde simulam atos criminosos que combatem no seu dia a dia.
Usando máscaras, botas de couro, cordas e outros acessórios, estas mulheres-polícias simulam roubar jóias, carros e obras de arte em poses sensuais. A fotógrafa foi também uma mulher e esta sessão virou um calendário que as mulheres polícias ofereceram a amigos e colegas de esquadra. As críticas e os protestos surgiram rapidamente.
Vários polícias consideram que a ação das suas colegas é uma tentativa de ridicularizar a força policial e serve como apologia ao crime. Um representante do sindicato Fórum Policial disse à BBC que "quando temos todos os dias companheiros que arriscam a vida em situações extremas, torna-se difícil entender que outros encarem delitos como se fossem simples brincadeiras".
Punições: sim ou não?
O departamento policial de Ponent distancia-se das críticas e afirma serem "fotos que elas fizeram de forma particular. Em nenhuma imagem foi usado o uniforme ou algum distintivo oficial", porque caso o fizessem estariam a violar o regulamento.
No entanto, esse mesmo regulamento prevê que os agentes sejam punidos caso sejam acusados de prejudicar o nome e a imagem pública da instituição.

Fonte: Expresso